Financiamento

Geral

O financiamento é o meio pelo qual as finanças necessárias para empreender um projeto, programa ou portfólio é assegurado e disponibilizado para realizar o trabalho. Seus objetivos são:

  • determinar a melhor maneira de financiar o trabalho;
  • assegurar o compromisso dos detentores dos fundos;
  • gerenciar a liberação de fundos ao longo do ciclo de vida.

As etapas típicas envolvidas no procedimento de financiamento são:

 

 

O primeiro passo deste procedimento é identificar as possíveis fontes de financiamento. Estas poden ser fontes internas ou externas ou uma combinação de ambas. A escala do financiamento pode ser tão simples quanto a alocação de fundos de um único orçamento departamental ou tão complexa quanto o financiamento internacional de um empreendimento conjunto. Em alguns casos, pode-se esperar que o trabalho seja auto-financiado, com receitas geradas em estágios anteriores do trabalho fornecendo fundos para entregar os estágios posteriores.

O financiamento interno acontece quando todos os custos do trabalho são financiados pelos recursos existentes da organização anfitriã nos orçamentos operacionais e de capital. É improvável que seja necessário negociar termos para financiamento interno, mas as condições podem ser aplicadas e registradas no plano de gestão financeira.

Quando o financiamento é fornecido por um órgão externo, como um banco ou por acionistas, os termos e condições terão de ser negociados. Isto pode incluir taxas de juros, encargos e procedimentos para liberação dos fundos. Acordos complexos de financiamento podem precisar que a equipe de gestão tenha acesso a conhecimentos especializados.

Ao longo do ciclo de vida, como os planos são definidos em cada vez mais detalhes com níveis crescentes de confiança, os fundos serão totalmente comprometidos e será dada aprovação para iniciar o trabalho.

A administração dos fundos envolve, portanto:

  • Inicialmente: reservar fundos para o processo de identificação e reservar fundos para o processo de definição;

  • ao final da identificação: reservar fundos para a definição e reservar fundos para o processo de entrega;

  • no final da definição: reservar fundos para entrega, ou pelo menos a primeira etapa ou parcela de trabalho;

  • em cada revisão: os fundos para a próxima etapa ou parcela dependerão de um caso de negócios viável.

Quer sejam internos ou externos, beneficiários de benefícios ou não, os financiadores devem ser tratados como partes interessadas chave e administrados de acordo.

 

Projetos, programas e portfólios

Os projetos menores costumam ocorrer dentro dos limites departamentais. Eles serão financiados por um único orçamento operacional do departamento e o patrono do projeto pode muito bem ser o chefe do departamento que possui esse orçamento. À medida que os projetos se tornam maiores, eles atravessam as fronteiras departamentais e se valem de múltiplos orçamentos. O patrono do projeto será provavelmente alguém imparcial e mais adequado para os vários detentores do orçamento. Um conselho de projeto pode ser formado para dar representação aos principais provedores de financiamento. A gestão da organização  levará estes fatores em conta ao projetar a estrutura organizacional.

Em situações em que um contratado está entregando um projeto em nome de um contratante, o financiamento do contratado vem do contratante (que pode muito bem ter suas próprias fontes externas para administrar). Os pagamentos do contratante ao contratado serão normalmente baseados em avaliações do trabalho realizado em pontos acordados, seja em marcos específicos ou em intervalos regulares. O contratado muitas vezes precisará fazer a cobertura financeira para suprir o tempo entre o pagamento das contas e o recebimento dos fundos com base nas avaliações.

Em alguns países, existem acordos de financiamento que foram implementados pelo governo para formar parcerias com o setor privado para grandes projetos de infraestrutura. Muitas destas parcerias são principalmente formas de contratação, projetadas para aproveitar a gestão do setor privado, a experiência e os recursos na prestação de serviços públicos, enquanto reduzem o tempo e o impacto sobre os empréstimos do setor público. Outras são estruturas acionárias nas quais o governo mantém participação no ativo.

Contratos de Construir, possuir, operar, transferir (BOOT)  podem ser aplicados a uma iniciativa do setor privado, bem como a uma iniciativa do setor público-privado. Em um projeto BOOT, uma organização recebe uma concessão para financiar, construir, operar e eventualmente transferir uma instalação.

É muito provável que os programas envolvam vários orçamentos internos. Mesmo quando um programa estratégico pode ser financiado por recursos corporativos, haverá atividades de gestão de mudanças nos negócios rotineiros que normalmente são financiadas pelos departamentos envolvidos.

Tendo assegurado o financiamento para o programa, a equipe de gestão do programa se torna responsável pela distribuição de fundos para os projetos componentes. Eles devem estar sempre conscientes de que estão realmente financiando a entrega de benefícios, os projetos são simplesmente o meio de criar os resultados que permitem que os benefícios sejam alcançados. Com o foco no conjunto de casos de negócios, os fundos serão alocados e realocados de acordo com os benefícios que eles criam. Isto pode envolver a movimentação de fundos entre projetos, a redefinição de escopos ou mesmo seu cancelamento, a fim de utilizar os fundos de forma mais eficaz.

Os portfólios padrão são frequentemente constituídos por projetos entregues a contratantes. A maior parte do orçamento de portfólios é simplesmente a agregação dos vários orçamentos de projetos. Entretanto, a gestão de projetos de contratantes como um portfólio pode proporcionar a oportunidade de utilizar o fluxo de caixa de alguns projetos para cobrir o financiamento de outros, evitando assim a necessidade de fundos externos mais caros.

Um portfólio estratégico é financiada como parte do ciclo de planejamento de negócios. O ideal é que os objetivos do portfólio sejam entregues dentro do mesmo intervalo de tempo. Caso contrário, o portfólio corre o risco de ter seu financiamento alterado no ciclo de planejamento de negócios seguinte e, por consequência, o financiamento contínuo de projetos e programas.

A priorização e o equilíbrio de projetos e programas dentro de um portfólio estratégico dependerá, em grande medida, de como ele será financiado. Por exemplo, pode haver níveis de incerteza quanto à disponibilidade futura de financiamento. Os fundos garantidos a longo prazo devem ser utilizados para os programas mais longos e de alta prioridade, enquanto os fundos de curto prazo  serão vinculados a projetos de curto prazo ou programas menores.

SHARE THIS PAGE
No history has been recorded.

Financiamento

Voltar para o topo