Programação de recursos

Geral

A programação de recursos é um conjunto de técnicas utilizadas para analisar os recursos necessários para entregar o trabalho e quando eles serão necessários. Os objetivos da programação de recursos são garantir a:

  • utilização eficiente e eficaz;
  • confiança de que o cronograma é realista;
  • identificação antecipada de gargalos de capacidade de recursos e conflitos.

A programação de recursos é um suplemento a programação do tempo, não uma alternativa. O procedimento tem três etapas:

 


O modelo desenvolvido na função de programação do tempo é usado como base para a alocação de recursos para diferentes componentes do trabalho. Isto permite que a demanda de recursos seja agregada ao longo do tempo. Isto quase inevitavelmente leva a um perfil de demanda que tem períodos em que a demanda excede a oferta ou onde os recursos estão ociosos. O objetivo de calcular o cronograma, usando técnicas de programação com recursos limitados, é modificar os horários a fim de lidar com estes picos e funis de demanda.

Do ponto de vista da programação do cronograma, existem duas grandes categorias de recursos - consumíveis e reutilizáveis. Os recursos consumíveis são normalmente materiais. Recursos reutilizáveis são pessoas e máquinas.

A primeira etapa do procedimento aloca recursos para as atividades. Isto incluirá quantidades de recursos consumíveis ou o esforço exigido por recursos reutilizáveis. Uma vez que os recursos tenham sido alocados e um cronograma calculado, os recursos podem ser agregados. Os resultados da agregação são normalmente representados como um histograma de recursos. Para recursos consumíveis o histograma normalmente mostrará o uso cumulativo (também conhecido como uma curva s). Para recursos reutilizáveis, o histograma mostra o período de uso por período (ou seja, dia por dia, semana por semana ou conforme necessário).

O cronograma de recursos consumíveis forma a base para as aquisições incluindo detalhes que podem ser incluídos em um contrato, tais como o cronograma de entregas. O cronograma também pode revelar problemas  com materiais ou componentes que têm de ser encomendados com bastante antecedência. Isto pode às vezes levar a uma situação em que as encomendas precisam ser feitas antes que o trabalho seja totalmente autorizado (ver a atividade "pré-autorização de trabalho" no processo de definição).

Os recursos reutilizáveis raramente, se é que alguma vez, são ilimitados e o cronograma precisa ser revisto para levar em conta todas as limitações. Há duas abordagens de programação com recursos limitados que conciliam limites de recursos e restrições de tempo: suavização de recursos (ou programação de recursos com tempo limitado) e nivelamento de recursos (ou programação com recursos limitados).

A suavização de recursos reescalona as atividades, mantendo a data de término de acordo com a análise do caminho crítico. Isto resulta em um histograma de recursos onde os picos e canais são 'suavizados', mas não eliminados. Um cronograma suavizado é útil quando é possível e prático obter recursos adicionais para períodos específicos.

O nivelamento de recursos garante que a demanda de recursos nunca exceda a disponibilidade. Isto geralmente resulta em um aumento no tempo necessário para completar o trabalho e é mais apropriado quando há limites rígidos nos recursos disponíveis.

O processo simples de suavizar ou nivelar toda o cronograma ("simples" porque é a abordagem padrão da maioria dos pacotes de software de cronograma) não reflete a situação real. Na realidade, alguns recursos podem ter flexibilidade enquanto outros não, o que significa que alguns precisam ser suavizados e outros precisam ser nivelados. É também um fato que o cronograma será mais sensível aos limites de alguns recursos do que outros, mas este efeito é mascarado quando todos os recursos são programados simultaneamente.

Uma melhor compreensão da relação entre as limitações de recursos e o cronograma pode ser obtida através de uma análise de sensibilidade onde os recursos são programados individualmente. Alternativamente, técnicas como a cadeia crítica podem ser usadas para tratar as questões de uma maneira diferente.

 

Projetos, programas e portfólios

A maioria das técnicas de programação com recursos limitados é baseada em um modelo inicial de diagrama de redes. Os inconvenientes de escalonar estas técnicas desde projetos até programas e portfólios são explicados na programação do tempo.

Uma vez que o cronograma geral de um programa ou de um projeto grande e complexo é dividido em cronogramas de componentes, cada um deles pode ser analisado individualmente. Naturalmente, o problema aqui é que as decisões locais podem ter um impacto mais amplo que depois é perdido. Deve ser encontrado um equilíbrio entre a criação de uma cronograma excessivamente grande e detalhado que ninguém pode gerenciar com eficácia e uma série de cronogramas locais que não refletem todas as interdependências.

Quando o trabalho for suficientemente grande ou complexo para justificar vários cronogramas, a equipe de gestão do programa ou portfólio deve se concentrar no planejamento da capacidade. Na gestão geral, a capacidade é definida como "a quantidade máxima de trabalho que uma organização é capaz de realizar em um determinado período".

Uma equipe de gestão de programas ou portfólio deve, portanto, considerar a capacidade dos recursos disponíveis para seu trabalho. Ela pode adotar uma política de alocação de porções desses recursos para os projetos componentes onde um cronograma detalhado está feito. Este cronograma pode então ser consolidado para revisão e o processo pode ser repetido até que se consiga um equilíbrio na distribuição dos recursos. Isto é parte da atividade de harmonização no processo de gestão de portfólio.

SHARE THIS PAGE
No history has been recorded.

Programação de recursos

Voltar para o topo