Hersey e Blanchard

Paul Hersey e Ken Blanchard desenvolveram sua "Teoria do ciclo de vida da liderança" pela primeira vez em 19691. Posteriormente, eles renomearam a teoria para 'liderança situacional' e continuaram a desenvolvê-la tanto em juntos quanto individualmente.

A teoria descreve quatro estilos diferentes de liderança e quatro níveis de maturidade ou prontidão individual ou de equipe. Em seguida, combina estes elementos para sugerir qual estilo de liderança melhor se adapta a qual nível de maturidade.

Os estilos de liderança são:

E1: Determinar.

Este estilo é caracterizado por uma comunicação unidirecional onde o gerente define funções e é muito diretivo sobre como o trabalho será realizado.

E2: Persuadir.

O gerente ainda está fornecendo direção, mas está usando comunicação bidirecional. A equipe ou indivíduo é agora encorajado a aderir às decisões que estão sendo tomadas pelo gerente.

E3: Compartilhar.

O gerente e a equipe (ou indivíduo) compartilham a tomada de decisão sobre alguns aspectos de como o trabalho será realizado. O gerente está se concentrando menos no comportamento diretivo e mais no comportamento de apoio.

E4: Delegar.

Embora ainda envolvido nas decisões, o gerente delegou grande parte da responsabilidade pelo desempenho do trabalho à equipe ou ao indivíduo, mas mantém a responsabilidade de monitorar o progresso.

 

Um gerente P3 precisa ser competente em todos os quatro estilos. Embora 'E1' possa ser apropriado quando um gerente de projeto tenha contratado ajuda de curto prazo, 'E4' representa a relação que deve ser vista entre, por exemplo, um gerente de programa e um gerente de projeto.

Estes estilos estão correlacionados com os pontos do continuum de liderança de Tannenbaum e Schmidt, e também podem ser facilmente alinhados com os estágios do modelo de Tuckman de desenvolvimento da equipe.

Ao lado dos estilos de liderança estão as características da equipe ou do indivíduo. Na versão anterior do modelo elas eram chamadas de "níveis de maturidade", mas nas versões posteriores isso se tornou "prontidão para seguir". Os quatros níveis de prontidão para seguir são:

P1:    Incapaz e pouco disposto ou inseguro.

P2:    Incapaz, mas disposto ou confiante

P3:    Capaz, mas pouco disposto ou inseguro

P4:    Capaz , disposto e confiante

Colocando os estilos de liderança em conjunto com os níveis de prontidão, o diagrama abaixo mostra os resultados:

 

 

  • Determinar
  • Quando um membro da equipe chega pela primeira vez, pode haver ansiedade, tensão ou confusão. O gerente deve adotar uma abordagem orientada a tarefas, fornecendo instruções específicas e supervisionando de perto o desempenho.

  • Persuadir
  • Conforme as pessoas começam a entender o que é necessário, o gerente passará mais tempo estabelecendo uma relação de confiança e compreensão mútua. Como o indivíduo pode ainda não ter desenvolvido competência suficiente para assumir total responsabilidade pela tarefa, ainda é necessário explicar as decisões e dar oportunidade de esclarecimento.

  • Compartilhar
  • Na medida que o indivíduo desenvolve altos níveis de competência e motivação, é possível uma maior delegação e tomada de decisões em grupo. O líder se concentra em desenvolver relações.

  • Delegar
  • Finalmente, chega-se a um ponto em que os membros da equipe estão confiantes em sua capacidade, confiantes para prosseguir com a tarefa e têm um bom relacionamento com o gerente. Tanto a conduta com relacionamentos como com tarefas caem para níveis baixos. A indulgência por parte do gerente é agora, talvez, o maior perigo.

 

  1. Hersey, P. and Blanchard, K.H., Life cycle theory of leadership, Training and Development Journal, 23 (5), (1969)
SHARE THIS PAGE
31st July 2014Link to Italian translation added

Hersey e Blanchard

Voltar para o topo