Lencioni

Em seu livro 'The Five Dysfunctions of a Team', Patrick Lencioni1 explica as cinco disfunções potenciais de uma equipe e o que um líder pode fazer para enfrentá-las.

As cinco disfunções são:

 

 

1. Falta de confiança

Isto ocorre quando os membros da equipe não estão dispostos a admitir seus erros e fraquezas, e não gostam de pedir ajuda. No início do projeto, os membros da equipe não terão tido tempo de cometer nenhum erro, então o foco do líder deve ser o de encorajar as pessoas a pedir ajuda quando elas precisarem.

Lencioni diz que o papel do líder aqui é "Ir primeiro!" o que se encaixa bem com uma abordagem colaborativa para determinar os objetivos do projeto e os meios para alcançá-los. O líder deve admitir prontamente onde precisa de ajuda e gerar confiança nos outros, permitindo que todos contribuam com base em seus pontos fortes e encorajando-os a buscar ajuda para enfrentar suas fraquezas.


2. Medo de conflito

Esta disfunção é uma alternativa interessante para o estágio de 'tempestade' no modelo de desenvolvimento de equipe de Tuckman. Enquanto Tuckman sugere que todas as equipes passem por um período de conflito, Lencioni afirma que, se faltar confiança aos membros da equipe, eles não se envolverão em debates robustos.

O papel do líder aqui é "minerar conflitos" através da facilitação hábil do processo de estabelecer objetivos e como alcançá-los.

 
3. Falta de compromisso

Se o medo de conflito não for enfrentado, uma má decisão é tomada, o que resulta em ambiguidade e falta de compromisso. Membros particularmente competentes da equipe podem ficar insatisfeitos. O líder precisa forçar a clareza e a resolução de problemas, o que novamente faz parte dos processos de identificação e definição, particularmente através de exercícios em torno da gestão de requisitos e do desenvolvimento de soluções.

 
4. Evitação de responsabilidade

Quando não há compromisso com um plano de ação, Lencioni aponta que mesmo os indivíduos mais focados e motivados hesitam em apontar problemas e comportamentos que são contraproducentes. Tudo o que o modelo destaca até este ponto tem enfatizado os benefícios de passar pelos processos da gestão de projetos, procedimentos funcionais de forma colaborativa, e de enfrentar questões difíceis.

De fato, a "equipe" de Lencioni no contexto do projeto deve envolver as partes interessadas, assim como as equipes de gestão e entrega do projeto.

 
5. Desatenção com os resultados

Em última análise, se o líder da equipe (gerente de projeto ou programa, no nosso caso) não tiver abordado as disfunções anteriores, o resultado final será que os indivíduos colocarão suas próprias necessidades à frente dos objetivos coletivos da equipe. Pode-se dizer que este elemento é particularmente relevante para as partes interessadas que não têm o tipo de responsabilidade que normalmente é aplicada aos membros das equipes de gestão e desenvolvimento.

 

As disfunções de Lencioni e o papel do líder na abordagem destas pode ser resumido como mostrado abaixo.

 

 

  1. Lencioni P, 2012, The Five Dysfunctions of a Team, John Wiley and Sons
SHARE THIS PAGE
No history has been recorded.

Lencioni

Voltar para o topo